POESIA — Cigana

Não ando sem rumo por desertos e campos floridos,

Não sou cigana por meus tecidos coloridos;

Se roubo cavalos não é por falta de dinheiro,

Se ando acompanhada não é pelo dia inteiro.

Não sou vidente, mas me guio pelo luar,

Se não tenho casa é por não querer comprar.

Não sou cigana por minhas constantes andanças;

Se me falta o resto todo, ainda tenho esperanças.

Mas se me ocorre dizer-me cigana, enfim,

É porque este coração não pertence mais a mim.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s